Cumplicidades

Há palavras que nos beijam, Como se tivessem boca. Palavras de amor, de esperança. De imenso amor, de esperança louca...

sexta-feira, outubro 01, 2004

Intemporal

És tu a Primavera que eu esperava,
A vida multiplicada e brilhante,
Em que é pleno e perfeito cada instante.
...

Peço-te que venhas e me dês
Um pouco de ti mesmo onde eu habite
...

Em nome da tua ausência
Construí com loucura uma grande casa branca
E ao longo das suas paredes te chorei
...

Sophia de Mello Breyner Andersen




Despe-te de tudo o que te poderá embotar os sentidos
Pois quero que chegue às mais abissais fossas do teu ser
Todo o amor de todos os amantes que por estas terras passaram!
São para ti todas as palavras que foram ditas
Todos os poemas que foram cantados,
Todas as juras formuladas.
Quero que seques todas as lágrimas derramadas
E conformes no semblante todos os sorrisos que iluminaram tantos rostos radiantes.
Recebe amor, todos os beijos e todos os abraços que alguma vez se perderam.
Quando a terra se escancarar, quando o Fim for o Princípio,
Estaremos juntos no limite temporal do universo.

Maria

45 Comments:

Blogger pipetobacco said...

{ ... hoje estou no “tempo”… não sei pq mas vejo o tempo em todo o lado. sem esquecer a beleza de tuas palavras deixo o tempo:
tempo de ensejo e oportunidades esbanjadas em ocasião própria |
tempo usado, gasto, talvez aborrecido ou desgostoso por fim |
tempo de existências em sua mutação e grave dissipação |
tempo perdido em coisas sem valia e gasto em vão |
tempo de coração, afeição, amor, sentimentos de mim |
tempo passado ou realizado anteriormente em recordação |
tempo futuro, tempo de oposição à ideia de eternidade |
tempo de anos, dias, horas, momentos ou estados |
tempo de perda ou ruína, de nascer ou morrer |
tempo a perder ou a viver |
© biquinha ... }{ por falar em tempo, eu ainda estou em 30 de setembro e tu em 01 de outubro :) já nem o tempo é igual pra'todos }{ beijos* }

10:52 da tarde  
Blogger JPD said...

O Fim e o Princípio são uma «comodidade» para ajudar a estabelecer a ideia de duração.
É com ela que vamos experimentanso o desalento, a euforia, tanto e tanto!
Numa situação de arrebatamento é desejável que o Fim e o Princípio se confundam para que, provavelmente a duração se eternize.
É plausível?

11:03 da tarde  
Blogger sandra said...

Olá minha amiga!Gostei muito deste post...por acaso conhecia este poema de Sophia Mello Breyner é muito lindo!Também gostei muito do teu texto, as palavras são muito profundas e revelam um amor e uma dedicação total...
Beijinhos e continua a escrever assim

11:13 da tarde  
Blogger Emilio de Sousa said...

Exprimiu claramente o sentido da Eternidade. Que assim seja.Fico sem folego ao ler as suas palavras.Beijos.

11:16 da tarde  
Blogger Cacusso said...

Conseguiste resolver o problema!
Ler-te é um prazer.
Obrigado

11:35 da tarde  
Blogger metafora said...

Há ausências que nos preenchem mais do que presenças... creio!

Leio em ti o amor denso e absoluto.

11:58 da tarde  
Blogger Palavras de Algodão said...

Um beijo enorme, Menina de Ouro.
Não sei de tantos poemas da poetisa, mas sei de outros tantos!
Olha-me este fim(?)ou talvez não...
[...]
Em nome da tua ausência
Construí com loucura uma grande casa branca
E ao longo das suas paredes te chorei
[...]
e agora, olha-me este teu:
[...]
Quando a terra se escancarar, quando o Fim for o Princípio,
Estaremos juntos no limite temporal do universo.

Admiro-te, Maria!
Muito!
Um beijo grande, quase tão grande, como as tuas palavras!Sem dúvida, das coisas bonitas que tens e que connosco partilhaste!...Melhor título seria impossível:"Intemporal"

12:01 da manhã  
Blogger Cacusso said...

Eis o... problema:

http://kotodianguako.blogspot.com/2004/09/problema.html

Tão difícil quanto a quadratura do círculo.

Parabéns!

12:03 da manhã  
Blogger justanothernickname said...

in the limit storm of the universe. ............nice

1:23 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Maria, bom vir aqui e ler seus belos textos sempre acompanhados também de ótimas escolhas.

Beijos,
Marcia http://www.lendoesonhando.blogger.com.br

1:28 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Oi, Maria...
Perdoe-me a falta de atenção. Fiquei imensamente feliz por teres conseguido chegar à minha casa! Amei voltar aqui e sentir os bons ares da primavera. Obrigada pela tua visita. Beijo........ Vinha

http://oprazerdepensar.weblogger.com.br

1:35 da manhã  
Blogger justanothernickname said...

I thik the translation service I use, is giving me the wrong translation.........damn!

1:58 da manhã  
Blogger Ankh said...

"Quando a terra se escancarar, quando o Fim for o Princípio,
Estaremos juntos no limite temporal do universo."
Magnífico Maria...
O limite já foi há muito ultrapassado, o tempo deixou de ter qualquer significado, extravasa a própria eternidade.
Que fazer com um amor assim?
Não se pensa....
sente-se e vive-se...em permanente combustão.

2:39 da manhã  
Blogger Lhasa said...

Gosto muito do teu blog. Gosto da poesia que editas e sobretudo dos textos da tua autoria. Há um transbordar de sensibilidade em tudo. Absolutamente! :)*

6:57 da manhã  
Blogger tartaruga said...

hummfff... as tuas palavras são tão GRANDES, grandes não... imensas... intensas... que não resta nada a dizer! um grande beijinho amiga ;)

9:18 da manhã  
Blogger Sandro said...

Devo dizer-te que foi muito, muito, bom, encontrar-te aqui e poder visitar este teu "mundo".

Adoro tanto o que escreves, como as tuas referências.

Sophia de Mello Breyner é uma das minhas preferidas de sempre.
Maria Branco é uma das minhas preferidas de agora.

Um beijo grande

10:31 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

E tu minha doce Maria, és em ti mesma, todas as estações... Primavera florescente, Verão escaldante, Outono temperado e um Inverno bem aquecido.

Sem tempo e para tempre.

Su

10:58 da manhã  
Blogger lique said...

"São para ti todas as palavras que foram ditas/Todos os poemas que foram cantados,/Todas as juras formuladas." Como já conhecia o poema da Sophia, hoje digo-te que adorei o teu. Um poema de amor para a eternidade. Beijinhos, amiga.

11:24 da manhã  
Blogger Ivo Jeremias said...

Duas grandezas incomparáveis... Sophia e Maria.
de um lado a sabedoria de uma vida, do outro a sabedoria de escrever...
Tuas palavras deixam-me arrepiado... todas as sílabas ecoam dentro de mim e deixam-me com o coração a gritar tresloucadamente para o libertar...
Ohh meu Deus. Que vontade louca de Amar.

12:44 da tarde  
Blogger Andrea Motta said...

Maria, que maravilha de post, lindo o poema da Sophia e maravilhoso o seu texto!. Desculpe-me por estar ausente dos comentários, mas isto acontece por absoluta falta de tempo.. acredito que após 15 de outubro , findo o trabalho ao quel me dedico, seja possível estar mais presente. No entanto continuo visitando seu blog e outros quase diariamente, para deixar minha leitura em dia. Bom final de semana, beijos com carinho. Andréa Motta

1:11 da tarde  
Blogger rfarinha said...

Eternamente juntos, no valor intemporal do tempo ;) Bjs

2:25 da tarde  
Blogger polittikus said...

Um mar de sentimento perdidos por Sophia... PS- Faz-me um favor muda este sistema de comentários, já estava farto de tentar comentar, acho q se consegui-se este seria o 3 ou 4 comentário deste post.

2:36 da tarde  
Blogger c.b. said...

Tudo tem um tempo, todo o tempo vive e viverá sempre na palavra.

Beijo e bom fim de semana :)

2:39 da tarde  
Blogger Escape said...

Voltei...;)
:)

3:37 da tarde  
Blogger folhasdemim said...

Maria, fiquei sem palavras para tanta beleza. Tua e da Sophia. Parabéns, beijinhos e um óptimo fim de semana, Betty :)

3:51 da tarde  
Blogger Estrela do mar said...

Maria, que bela é a tua escrita. Obrigada por partilhares esse dom...tão natural..tão sentido...tão especial como tu.
Desejo-te um bom fim de semana.
Um grande beijinho*.

5:19 da tarde  
Blogger Amadeu Raimim said...

E juntos ficaremos, sem limites, para além do tempo... Magnífico, Maria. Como sempre :) Um beijo :*

5:28 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Maria, não sei que dizer-te. Cumplicidade, apenas, uma sensação de cumplicidade. O teu chamamento é de tal modo belo e profundo que parece arrancado de mim mesma. Obrigada.

LibeLua

(Poemas de Trazer Por Casa...)

5:44 da tarde  
Blogger stillforty said...

Eis que a ti me entrego
e a ti recebo!
É a unificação do nosso ser.
Que maior maravilha
pode haver
do que beijar-te a alma...
...o meu abrigo?

Maria, estou de volta. É um prazer ler-te.
Bom fds

6:24 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Maria já não tenho quase palavras, a não ser, maravilhoso e profundo.beijos*** wind

6:26 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É importante saber que há quem acredite, que há quem cante e quem grite. Esse bem conhecido amor. Imtemporal, sem prazo definido. Alguém disse que o Amor seja eterno enquanto dura. Eu acredito que somos nós todos os dias a prolongar o seu prazo de validade. Foi a minha primeira visita, voltarei para ver mais. Gostei muito, tem um ar delicado e sublime este blog, parabéns. Cristiana http://sapatosvermelhos.blogs.sapo.pt/

8:51 da tarde  
Blogger Tim Bora said...

É sempre um prazer ser cumplice desta cantinho, da tua selecção de textos e da tua escrita.

10:06 da tarde  
Blogger polittikus said...

Para mudar os comentários vai ao site: WWW.haloscan.com e segue as instruções...

10:10 da tarde  
Blogger yogipijama said...

Tão perfeito quando uma alma se prepara para receber o amor! Mais perfeito é a forma que dás aos sentimentos. bjs :)

2:10 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Oi Linda! O teu amor é sublime e o descreve de forma pura e emocionante. Beijos, um fds maravilhoso e fica bem. Sei que a esta hora já estás a dormir. Bons sonhos querida.

2:52 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Maria que todo o amor perdido, sentido enebriado pelos tempos seja sempre a ele dado a por ele nascido, para ele cantado por ele sentido, e que seja sempre assim por toda a eternidade do ser e quando se embalar e partir o ocrpo para o paraiso que a generosidade do amor leve as almas juntas para juntas continuarem todo o amor que a terra viu nascer e crescer. Beijocas Sónia Pereira http://nocturna.blogdrive.com

11:37 da manhã  
Blogger nocturnidade said...

suave e eterno.

beijo grande.

12:40 da tarde  
Blogger veneno said...

Apeteceu-me espreitar-te. Gostei. Voltarei :)

1:00 da tarde  
Blogger Yardbird said...

A tua sensibiliade aflora em cada frase que escreves, Gosto de te ler, Maria. Gosto de te sentir na escrita. Beijinho, sábado feliz :-)

2:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Recebe, amor, todos os beijos e todos os abraços que alguma vez se perderam"
Que lindo Maria...
Beijos, Litostive*

5:28 da tarde  
Blogger CAP said...

Espero que estejas a passar um bom fim-de-semana. Beijos.

7:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Reli Sophia com o prazer de sempre.
Sensível, belíssimo, o teu poema.
Agora vou ler todos os outros posts em atraso. Durante a semana, por razões de ordem vária, inútil querer vir até aqui. Não dá! :((((
Bom fim de semana
Dois beijinhos do "amo".

8:15 da tarde  
Blogger MWoman said...

O amor, Maria, sempre o amor, total e incondicional, nos teus textos! E que belas escolhas que fazes...beijos e votos de um bom fds.

10:18 da tarde  
Blogger frog said...

ENFIM!... Cá estou...Saudades e um beijo.

1:14 da manhã  
Blogger corpo visível said...

Uma confiança assim é avassaladora!!
:)

12:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

actualizações de weblogs portugueses