Cumplicidades

Há palavras que nos beijam, Como se tivessem boca. Palavras de amor, de esperança. De imenso amor, de esperança louca...

quinta-feira, outubro 14, 2004

Berthold Brecht

Dificuldade de Governar

Todos os dias os ministros dizem ao povo
Como é difícil governar.

Sem os ministros
O trigo cresceria para baixo em vez de crescer para cima.
Nem um pedaço de carvão sairia das minas
Se o chanceler não fosse tão inteligente.

Sem o ministro da Propaganda
Mais nenhuma mulher poderia ficar grávida.

Sem o ministro da Guerra
Nunca mais haveria guerra.

E atrever-se ia a nascer o sol
Sem a autorização do Führer?
Não é nada provável e se o fosse
Ele nasceria por certo fora do lugar.
...
Ou será que
Governar só é assim tão difícil porque a exploração e a mentira
São coisas que se custam a aprender?

.....................

Nada É Impossível De Mudar

Desconfiai do mais trivial,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceiteis o que é de hábito
como coisa natural.
Pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural.
Nada deve parecer impossível de mudar.

......................

"Procuro por toda parte formas novas e faço experiências com os meus
sentimentos, como os mais jovens. Mas depois volto sempre à essência da
arte, que é simplicidade, grandeza e sensibilidade, e à essência de sua
forma, que é frieza."

.....................

As Boas Acções

Esmagar sempre o próximo
não acaba por cansar?
Invejar provoca um esforço
que incha as veias da fronte.
A mão que se estende naturalmente
dá e recebe com a mesma facilidade.
Mas a mão que agarra com avidez
rapidamente endurece.
Ah! que delicioso é dar!
Ser generoso que bela tentação!
Uma boa palavra brota suavemente
como um suspiro de felicidade!

25 Comments:

Blogger Emilio de Sousa said...

Sempre actual e moralizante, este Brecht. Esta escolha está eivada da sua serena personalidade, Maria. Regozijo-me da ausência da componente ideológica. Um beijo e parabéns pelo bom gosto. É uma opinião muito pessoal.;)

4:07 da tarde  
Blogger Emilio de Sousa said...

Sempre actual e moralizante, este Brecht. Esta escolha está eivada da sua serena personalidade, Maria. Regozijo-me da ausência da componente ideológica. Um beijo e parabéns pelo bom gosto. É uma opinião muito pessoal.;)

4:14 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Nada é mais raro do que a verdadeira bondade. Até os que julgam possui-la apenas têm normalmente condescêndencia ou fraqueza. E não vale a pena esforçarmo-nos por ser bons. Seria uma hipocrisia. Temos de nascer bons ou então não vale a pena metermo-nos nisso.
Tu nasceste boa Maria! É um previlégio poder cruzar-me contigo.
xc

4:37 da tarde  
Blogger frog said...

Revelaste-me uma faceta que eu desconhecia (ainda)...apesar de tudo, as realidades do mundo e da sociedade estão aí e a reflexão que nos deixas, não nos deixa insensíveis. Não resisto à tentação de citar B.Brecht " ...do rio que tudo arrasa se diz que é violento, nas ninguém diz violentas as margens que o oprmem".

um beijo

4:53 da tarde  
Blogger c.b. said...

Força imensa mostrada na poesia. Gostei.

Beijos grandes

5:51 da tarde  
Blogger R/B Estação said...

Não conheço o autor, mas que o homem sabe falar sabe ;)!
Beijinhos

6:29 da tarde  
Blogger Luis Duverge said...

Dificuldade de Governar
Gostei faz-me lembrar o desgoverno em que estamos ... tão simples como desgovernar a nossa casa.

Nada É Impossível De Mudar
Andamos sempre a mudar ...de governo, de políticos ...mas esta política ... essa veio para ficar.

As Boas Acções
Sem tempo, nem lugar ...as boas acções são para praticar.
As minhas desculpas, sempre posso comentar.
Não gosto de me despedir ...vou passando ...a-alma-aqui-e-além.blogspot.com

6:35 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

É uma benção para quem se cruza contigo, como acima o dizem, a bondade não se exprime pratica-se como tu tão bem o fazes. Obrigada Maria por existires
beijos
P

7:12 da tarde  
Blogger Delicatessen said...

Toco-te, sinto um leve tremor... . Trémulo tacteio, cheiro, aquele aroma que quero, aquele toque de cetim aveludado, meu, teu ... és tu ... .

7:26 da tarde  
Blogger o5elemento said...

{ ... se governar significa: encaminhar-se, dirigir-se; exercer autoridade, administração, governo; reger, administrar, gerir, dominar, imperar sobre; mandar; conduzir; arranjar-se bem; cuidar dos seus (nossos) interesses; regular-se… então andamos todos de facto desgovernados © exactu ... }

8:45 da tarde  
Blogger pipetobacco said...

{ ... quanto a berthold brecht, não conhecia… mas fica aqui o meu agrado pela tua escolha ... }

8:50 da tarde  
Blogger Tim Bora said...

Só quem souber dar sem pedir nada em troca, saberá ser digno de receber.

8:52 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Espectaculares palavras, sempre actuais, mesmo nos dias de hoje. beijos:)* wind

9:18 da tarde  
Blogger lique said...

Não é espantoso,amiga, como Brecht continua actual? Cada vez mais, diria eu. Que bom é teres-te lembrado deste homem genial da poesia e do teatro! Beijinhos, Maria.

10:47 da tarde  
Blogger Anjo élico said...

Pois, Brecht!
E que mais dizer: obrigado por relembrá-lo.

10:54 da tarde  
Blogger JPD said...

Acho que foste muito feliz nas escolhas para repensar a importância e urgência na reformulação da ética no quotidiano.
Bjs

12:01 da manhã  
Blogger contadordehistorias said...

O que dizer de Brecht? Tanto que poucas são as palavras. beijo

12:07 da manhã  
Blogger rfarinha said...

Selecção interessante... não consegui separar a ideia de relacionar com a actual situação política... vá-se lá saber porquê... ;) bjs

1:10 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Excelente este teu artigo, minha amiga. Tantas verdades. Umas antigas, mas tão actuais. Bjinhos Amita//brancoepreto.blogs.sapo.pt

1:22 da manhã  
Blogger Amadeu Raimim said...

Curioso... nunca tinha pensado que sensibilidade e frieza podem andar juntas. Agora fiquei preocupado... Um beijo :*

2:53 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Dar, DEVIA SER uma tentação boa, mas infelizmente é coisa rara nos dias de hoje. Como raro é, aqueles que no poder não resistem à tentação da prepotêcia, da usurpação e da corrupção.
Não creio que governar seja fácil, como não é fácil resistir às facilidades dos desvios intelectuais e morais que o poder dá! Sem dúvida nenhuma que O PODER corrompe, só muitos poucos conseguem SABER lidar e exercê-lo com equilíbrio e lisura. Beijo pra ti Maria

In Loko

6:14 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

É difícil governar. Mas é ainda mais difícil ser governado. Mais um belo poema Maria. Votos de um óptimo dia apesar da chuva. Beijos, Betty :)

11:49 da manhã  
Blogger polittikus said...

Gostei de todos , mas o priomeiro está divino... Não conhecia esta tua faceta de critica social... lindoooooooooo

2:37 da tarde  
Blogger Cacusso said...

Sempre oportuna, sensível e certeira.
Pareces adivinhar em cada momento o sentir de quantos têm o previlégio de te ler!
Obrigado!
Bom fim de semana.

8:52 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Brecht, consciente das limitações humanas, e solidário com os “humilhados e ofendidos” (como diria Dostoievski), colocou sua voz e inteligência, à serviço dos deserdados da “sorte”. Brecht é também um espinho, a cutucar nossas consciências entorpecidas.
Maria, valeu por tal publicação!
batista filho

12:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

actualizações de weblogs portugueses