Cumplicidades

Há palavras que nos beijam, Como se tivessem boca. Palavras de amor, de esperança. De imenso amor, de esperança louca...

quinta-feira, setembro 02, 2004

Enleio


Quando nos enredamos nos caminhos da Paixão
É como se de uma vertigem se tratasse
São voltas e voltas, umas sem princípio, outras sem fim
Outras ainda, sem um nem outro.
É um precipício que nos suga
Para um mundo do qual a razão não faz parte.
A Paixão é criatura autofágica de desmesurado apetite
Com um ventre do tamanho da nossa desdita ou da nossa ventura.
Doença da alma, que só o tempo, por vezes, cura
Deixa como sequela rara, o Amor!
Tal é o destino da que tenho por ti...

Maria





Não sei se volteio
Se rodopio
Se quebro

Se tombo nesta queda
em que passeio

Não sei se a vertigem
em que me afundo
é este precipício em que me enleio

Não sei se cair assim me quebra... Me esmago ou sobrevivo
em busca deste anseio


Maria Teresa Horta

39 Comments:

Blogger polittikus said...

Mais uma vez rendido às tuas palavras, mais uma vez sou obrigado a roubar-te as letras dos teus poemas, para oferecer à minha alama gémea...

10:43 da tarde  
Blogger Emilio de Sousa said...

Maria, senti um arrepio ao ler o seu texto que foi apaziguado com o poema. Fiquei em paz...Um beijo

11:25 da tarde  
Blogger CAP said...

Há doenças boas :)

12:17 da manhã  
Blogger Lapis de Cera said...

É como se andassemos num carrossel e volteássemos mil felicidades!É como se esse cair fosse leve, e tomássemos da nossa imaginação as asas e voássemos!
Ai, "Quando nos enredamos nos caminhos da Paixão", tudo o mais "...nos passa ao lado!"
E adoramos existir!

Um beijo, Maria!
Grande, grande, como só tu...
Cris

1:23 da manhã  
Blogger Carriço said...

Grande verdade a que se lê acerca do amor: uma sequela rara da paixão! Rara, mas bela...

Gostei do que li. Vou aparecendo!
Saudações

Fragmagens

5:56 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

É mesmo Maria, a PAIXÃO é viajar a velocidades alucinantes. Tudo à nossa volta perde o sentido... estamos demasiado ocupados em absorver todas as gotas que brotam da corrente que nos envolve! Bom seria que a sequela (AMOR) não fosse tão rara! Beijos pra ti...

In Loko

6:09 da manhã  
Blogger PARTILHAS said...

O movimento Querida Maria, a passagem da sabedoria emocional, a ligação invisivel e presente da Paixão... a dança... mais sabedoria... Felicidade em conclusão de Amar, dançando, apaixonadamente!

9:52 da manhã  
Blogger rfarinha said...

O problema de quem vive uma paixão é o não pensar que se deixe enredar pelo amor... ;) Bjs

10:52 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Este é o primeiro comentário que te faço.
Tenho vindo a acompanhar o teu blogue em silêncio e está-se a passar uma coisa estranha comigo. Estou a sentir-me lavado por dentro, mas com amaciador.
É a imagem mais próxima do que sinto. Não é muito poética mas é verdade.Obrigado. Continuarei a visitar-te como processo diário de higiene espiritual.
Bjs
BONSAI

12:07 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

o Amor ficou dessa paixão, que com o tempo esperas que se cure.
a cura sempre chega se a pessoa que se rende e que sentiu, quiser esquecer essa paixão, mas o Amor sempre será dificil esquecer, mas com o tempo pode ser que se cure, se encontrares em ti o teu próprio amor, pois o amor por ti própria é o amor que deves ter em primeiro lugar, para estares em paz e com um belo sorriso nos teus lábios

Paulo Povoa
http://frasesepoemas.blogs.sapo.pt

12:11 da tarde  
Blogger MWoman said...

Continuo com grandes dúvidas se de uma grande paixão poderá ficar o Amor, tal como o concebemos. É muito difícil catalogar sentimentos...Mas, relativamente ao teu post e à maneira como usas as palavras: Bonita, como sempre!Beijos

1:28 da tarde  
Blogger Yardbird said...

Lindo o texto e muito em consonãncia com aquilo que sinto, Maria. E muito bem apoiado pela Teresa Horta :-) Beijinho

2:33 da tarde  
Blogger Cris said...

Paixão... Amor... que seria da vida sem eles? Pena que às vezes magoem... Mas seriam tão especiais se não fosse assim? Jinhos :)

Cris (www.palavrasaovento.blogs.sapo.pt)

3:22 da tarde  
Blogger tecum said...

Veja-se o que a literatura médica diz sobre essa profunda alteração do "eu". A intensidade é tal que nunca poderia ser duradoura. Não haveria mortal que aguentasse tal estado alterado. Por isso se transforma ou ... acaba.
Ai, Maria, tu desculpa-me esta prosa toda. Só pode ser da chuva! Maria Teresa Horta, fabulosa. O teu texto, maravilhoso.
Um beijo para ti. Bom fim-de-semana. Vou para fora e não sei se me será fácil o acesso a um PC.

http://amoergosum.blogs.sapo.pt

4:03 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Maria, minha amiga, isto hj está mesmo a transbordar :) Muito, muito tocante mesmo.Bjs, linda. Lia
http://textosecenas.blogspot.com/

4:07 da tarde  
Blogger o5elemento said...

[ ... paixão, decerto arrepio sentido, amor ardente, sentimento excessivo, sofrimento intenso e prolongado, decerto calafrio vivido. © pipetobacco ... ][ beijos* ]

5:10 da tarde  
Blogger amita said...

O caminho da paixão é perigoso, cheio de armadilhas que, quem cai nelas, tem dificuldade em libertar-se, e nem sempre daí deriva amor. Belo poema de Mª Teresa Horta. Bjinhos, amiga

7:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

se não há outro remédio...que a paixão arda no verbo Amar.

bjs.



maat7

7:07 da tarde  
Blogger Estrela do mar said...

É tão bom sentirmo-nos amadas e apaixonadas. Para mim a vida completa-se assim.
Belo texto, Maria.
Fica bem.
Um grande beijinho.

7:28 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Polittikus: Roubar? não! são tuas... Fico feliz, por o fazeres, é a forma mais bonita de me dizeres que gostas das minhas palavras. O meu muito obrigada! Beijinhos

11:58 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Emilio: Obrigada, gosto de o saber em paz. Beijinhos

11:59 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

CAP: Sim, muito boas...

12:01 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Doce Cris: Transbordamos desse amor profundo e suave.. que nos desenha um sorriso na alma.. Flutuamos, vivemos, somos... Beijinhos muitos

12:05 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Carrico: Obrigada pela tua visita...

12:05 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

In Loko, amigo: Por ser tão rara, se torna tão especial. Muitos beijinhos

12:07 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

In Loko, amigo: Por ser tão rara, se torna tão especial. Muitos beijinhos

12:09 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Partilhas: o amor vive-se numa dança constante e apeixonada... Beijinhos

12:10 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Ridufa: Sem duvida! Beijinhos

12:11 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Bonsai: Obrigada pela tua visita e palavras...

12:12 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Paulo: O amor nunca se esquece. O amor permanece sempre em nós, transforma-se dá lugar a um sentimento sereno, suave.. Poderá ainda dar espaço a outros sentimentos. Um dia será recordado com um sorriso, um dia... Beijinhos

12:16 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

MWoman: Este amor deu lugar à paixão... Beijinhos

12:17 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Yardbir:Eu sei amigo... Obrigada. Beijinhos

12:18 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Cris: Magoa sim, mas mesmo assim digo-te, prefiro sentir-lhe a dor, e conhece-lo do que nunca o ter experimentado... Conheço-o, sinto-o, vivo-o! Beijinhos

12:22 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Amoergosun: Sim ninguém aguentaria, mas esse estado dá lugar a outro de serenidade, de paz... de amor! Beijinhos e bom fim de semana!

12:23 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Querida Lia: transborda porque não cabe em mim... Beijinhos

12:24 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

o5elemento: Em mim...

12:27 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Amita: Sim. Mas é preciso estar atento e conhecer-lhe os perigos... É realmente um risco.. Mas a paixão e o amor, são tão pouco racionais... Beijinhos

12:29 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Maat. o remédio é o proprio amor.. Beijinhos

12:30 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Estrela do Mar: É vida sim... Beijinhos

12:30 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

actualizações de weblogs portugueses