Cumplicidades

Há palavras que nos beijam, Como se tivessem boca. Palavras de amor, de esperança. De imenso amor, de esperança louca...

quarta-feira, agosto 25, 2004

Hoje...

Este dia foi sempre tão especial tão cheio de sorrisos, de abraços, de festa... Este foi e será sempre o teu dia.
Mas hoje, meu querido é cheio do vazio da tua ausência.
Lembro-me de correr na procura de um presente, algo que te desenhasse um sorriso nos lábios, algo que te fizesse feliz.
Tudo me parecia pouco...Tão pouco para ti.
Queria oferecer-te o mundo.
A vida...

Se eu pudesse...
Queria voltar atrás às nossas brincadeiras e correrias,
Às nossas pequenas zangas e safanões,
Às nossas gargalhadas e olhares cúmplices.
Quero recordar-te na alegria do teu viver
Para poder equilibrar a negra tristeza da tua perca.
Tive uma ideia para nunca nos afastarmos!
Vou transpor este mortal vazio para o gesto vital
De plantar duas árvores, uma maior e outra de menor porte.
À maior darei o teu nome e à menor o meu.
Cresceremos lado a lado, eu sob a protecção da tua copa.
Nada nos separará e cuidarei das duas por ti.
E quando a tua estiver crescida poderei abraça-la
E recostar-me nos seus ramos nos meus momentos tristes.
Falarei com ela como o fazia contigo e ela responder me á!

Entre nós, meu querido irmão, não existiu um Adeus, uma despedida.
Existiu um Até já que me ficou a dançar na alma.
Ao som de uma melodia triste.
E é esse até já, que te deixo agora:
Até já, meu querido irmão.
Amar-te-ei sempre!

Maria



Tudo se calou,
Enquanto se abria um trilho
Entre as nuvens…
Ninguém ousou tocar na Primavera,
Pintar o ar com outra cor!

Engalanaram-se os campos,
Tornaram-se ainda mais límpidos os ribeiros,
E os rios,
Correram céleres,
Para abrirem as portas dos mares!
E as flores ousaram bailados,
Coloriram-se,
Rodeando árvores de esperança!

Tudo parou!
E, mesmo as lágrimas
Deram as mãos,
Silenciando-se,
Para ouvirem a boa-nova:

Caiu do céu uma estrela,
Espalhando voos de gaivotas,
Sobre a alameda,
Por onde estás passeando...

Cristina Miranda


47 Comments:

Blogger Emilio de Sousa said...

Todos os que nos são queridos estão sempre connosco, mesmo que já tenham partido. Recordemo-los especialmente pelas coisas alegres. Um beijo especial neste dia especial e que a saudade seja alegre, Maria.

10:06 da tarde  
Blogger MWoman said...

Já não é a primeira vez que me deixas sem palavras, Maria...e hoje voltaste a fazê-lo.Resta-me dizer que o texto está belo e comovente...Beijos

11:20 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

hoje não faço um comentário ao texto
hoje faço ao sentimento
e do sentimento que transmites apenas digo isto, o amor que sentes, o carinho, a saudade, todos esses sentimentos têm em ti uma beleza que não se descreve, que não se quantifica, pois são sentimentos teus, sentimentos que sentes dentro de ti.
apenas posso dizer que perder uma pessoa que se gosta muito é sempre muito dificil, mas que se tem de superar e lembrar sempre de todas as coisas que passámos sejam boas ou más.
apenas digo mais uma coisa, aqui sempre terás um amigo, um amigo que hoje não comentou um texto, mas falou dos sentimentos

paulo povoa
http://frasesepoemas.blogs.sapo.pt

12:30 da manhã  
Blogger Estrela do mar said...

É sempre difícil suportar a dor do desaparecimento de alguém que nos é querido, embora ele esteja sempre no nosso coração...fiquei sem palavras, e mais uma vez não consegui me conter.
Um grande beijo.

12:31 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Obrigado por partilhares as tuas cumplicidades comigo, as tuas angustias os teus medos e receios, já sabes sou meio tonto e ás vezes percebo tudo ao contrário de qualquer forma enquanto aqui estiver se possivel vou tentar fazer-te sorrir ou mesmo gargalhar todos os dias, é bom quando as amizades crescem como as árvores...ás vezes do nada! Basta dar-lhes Sol e um pouco de água e também o nosso carinho elas mantêm-se sempre vivas!
E Sebasti toma conta da dona...bons sonhos para os dois não ressonem muito senão acordam os vizinhos!
Vittorio

1:25 da manhã  
Blogger Bruno said...

Para nao variar esta lindo! :) Acabei de me mudar Maria, já não aguentava o servidor do sapo... :) Um resto de boa semana.. ***

1:46 da manhã  
Blogger rfarinha said...

É triste quando não podemos abraçar aqueles que amamos... conforta-nos o facto de estarem sempre presentes no nosso coração (eternamente) ;) Bjs

5:58 da manhã  
Blogger Yardbird said...

Fiquei imensamente emocionado com a tua fraternal homenagem, Maria. Faltam-me as palavras para te dar conta do que senti. É o que acontece quando a emoção sufoca tudo o mais. Desejo-te tudo aquilo que mais queiras. Beijos, Maria

8:12 da manhã  
Blogger PARTILHAS said...

Maria, querida Maria.
Ontem dizia-te, que gostava de ter outro filho. Não por mim, mas pelo que já tenho.Um irmão. Foi o melhor presente, que os meus pais me deram. Diferentes, por vezes opostos, as nossas copas tocam-se, agridem-se, mimam-se, beijam-se, confundem-se por tão diferentes e tão iguais.

Não consigo imaginar. Gostava de te abraçar neste momento em que te escrevo e de fazer uma festa, pelas novas partilhas, que se estabelecem neste espaço não palpável, das palavras dos outros, que provocam em nós tamanha emoção.

9:33 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

abraçar-te-ei com os ramos dos meus braços.

9:42 da manhã  
Blogger metafora said...

Estas palavras fezem-me pensar na efemeridade dos momentos e na forma como passamos pela vida sem que façamos dos pequenos gestos a glória do amor...

Importa reiventar as palavras de carinho para aqueles que nos tocam pela proximidade e pela partilha...

11:02 da manhã  
Blogger lique said...

Maria, os teus textos deixam-me sempre com um nó na garganta e a certeza de que o que disser é pouco face à beleza e emoção que transmites. Perder uma pessoa querida é sempre doloroso. Perder um irmão, nem posso imaginar. Planta as árvores, Maria, para as veres crescer e saberes de um modo mais físico (porque, no fundo, tu sabes) que o teu irmão te abraça e te protege. Beijinho grande

11:04 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Bom dia amiga, Voltarei mais tarde para te ler. Bjinhos, Amita

11:33 da manhã  
Blogger ccc said...

deixo-te um sorriso querida Mª

12:22 da tarde  
Blogger c.b. said...

Que hoje e que todos os dias estejas acompanhada pela recordação e pelos momentos inesqueciveis recordados para sempre, esses nunca se irão perder, Maria. Deixo-te um beijo e um abraço.

12:44 da tarde  
Blogger yogipijama said...

Alguém um dia falou 'recordar é viver'. Se continuarmos sempre a lembrá-los viverão na nossa memória, jamais esquecidos e eternamente vivos. beijinhos :)

2:05 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A tua escrita é duma sensibilidade comovente, Maria. Agarras as palavras e expões o teu sentir duma maneira bela. Para competá-las incluis fotos maravilhosas e poemas fantásticos. Bjinhos, amiga. Amita

8:52 da tarde  
Blogger R/B Estação said...

Não sei o q dizer... estou todo arrepiado...
Desculpa.
Ficas bem?
Um grande beijinho.

9:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Estou a chorar... Mas, só morre quem é esquecido, quem é lembrado continua a viver no coração e no pensamento daqueles que o recordam com amor.
Um abraço grande para ti.

Ana
(http://a_verdade_da_mentira.weblog.com.pt/)

9:30 da tarde  
Blogger polittikus said...

Há vazios de sentimentos cheios de saudades... Adorei os dois textos.

9:41 da tarde  
Blogger Lapis de Cera said...

[...]
Pudesse eu…
Encontrar-te!
E beberia saudade...
Tasquinharia ternura
E dividiríamos,
A vontade de nos sentarmos
À sombra da certeza,
De estarmos juntos outra vez!

Pudesse eu...
E levava-te aquele abraço
Que me pediste para guardar
Para uma boa ocasião

Pudesse eu...
E a ocasião era agora,
E abraçar-te-ia de novo...

... PAI!
[...]

Ontem, não consegui dizer-te nada,Maria.
Senti por demais a saudade!...
Obrigada por seres assim...Doce como só tu!
Beijo,Cris

9:47 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Parabéns pelo texto e pelo poema, dum lirismo poderoso. É pena que, muitas vezes, aquilo que se escreve de melhor, tenha origem em sentimentos negativos como o pranto ou a perda. Há a inspiração solar, do amor, e há a inspiração nocturna, das noites em nos recordamos de quem partiu e não devia ter partido.

bjs jackx

10:44 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

a imortalidade. do sangue. hoje seiva.
da pele. hoje. um pedaço de casca.
a carne. aquela madeira enegrecida pelo caminho. do tempo.

a imortalidade. de ser. e de existir.
ergue-se.
sempre. nos outros.

hoje. também. fui teu irmão.

abraço. maria.

11:47 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

hoje. fui teu irmão.

João

os dias das noites

11:54 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Emilio: O meu irmão continua vivo em mim, e tudo o que relembro dele são momentos de cumplicidade e muitos sorrisos... O sorriso era uma constante nele... Muitos beijinhos

12:39 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Mwoman: Muito obrigada. Beijinhos

12:40 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Paulo: Obrigada pela amizade que me ofereces. Sabes que também podes contr sempre comigo! Muitos beijinhos

12:42 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Vittorio: É muito bom ter um amigo como tu és! Sempre disponivel, sempre atento, sempre disposto a deixar-me com um sorriso nos lábios. O meu muito obrigada! Muitos beijinhos

12:44 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Estrela do Mar: É realmente muito dificil! O tempo ajuda a minimizar a dor, a secar as lágrimas... mas a saudade, essa é sempre imensa... É verdade que os que amamos continuam a viver dentro de nós.. Mas confesso, que a saudade anda sempre acompanhada pela dor, talvez um dia a deixe de sentir... Mas ainda me doi muito... Beijinhos

12:48 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Bruno: Acho uma excelente ideia, porque o sapo anda insuportavEL. Beijinhos

12:49 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Ridufa: Sim vivem no nosso coração... Mas a vontade de um abraço, de um sorriso, de uma palavra... Doi.....

12:52 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Yardbird: Um grande abraço, e muito obrigada pelas tuas palavras! Beijinhos

12:54 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Partilhas: querida amiga, eu tive a sorte de ser presenteada com três irmãos, lindos e a quem amo incondicionalmente. E eles são o melhor de mim, acredita... Muitos beijinhos

1:03 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Metafora: depois de perdermos alguém que nos está proximo, a quem amamos, quando por qualquer razão a vida é posta em risco, percebemos o quanto pequeninos somos, o quanto desperdiçamos a vida por coisas tão insignificantes, enfim... É nessa altura que tomamos realmente consciencia do valor da propria vida... De nós, do que somos, e da forma como nos damos aos outros... E é pena que só depois de um "abanão", o entendamos... Muitos beijinhos

1:15 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Querida Lique, mesmo na certeza que o meu irmão me abraça, e me protege, plantarei as arvores, e cuidarei delas por nós dois... Muitos beijinhos

1:16 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Carlos, esses momentos irão acompanhar-me até ao dia em que realmente o abraçar... Muitos beijinhos

1:18 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

yogipijama: Sim só desaparecem para sempre os que nunca forma amados... Muitos beijinhos

1:19 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Querida Amita: Obrigada, muitos beijinhos para ti, amiga...

1:20 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Querida CCC: O teu sorriso aquece-me o coração, Muitos beijinhos

1:21 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

João da Cal: Tento... Beijinhos

1:21 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Ana: Um abraço enorme para ti, Obrigada. Beijinhos

1:22 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Pollittikus: É nesse vazios cheios de saudades que me vivo... Beijinhos

1:23 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Querida Cris: Que posso eu dizer-te? Apenas que gosto muito de ti! Obrigada!! Muitos beijinhos

1:24 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

Jackyx: Talvez pela intensidade dos sentimentos.. Não sei... Muitos beijinhos

1:25 da manhã  
Blogger Maria Branco said...

João: Deixas-me sem palavras, fiquei profundamente emocionada!! Um abraço enorme, beijinhos

1:27 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

É só um até já não é Maria? As perdas são sempre dolorossíssimas, mas eu francamente acredito que nos tornaremos a encontrar com os nossos mais queridos. É um pequeno reconforto, mas acredito! Um beijo grande e um abraço amigo de coragem *

DL- "Eu sei lá" http://euseila.blogs.sapo.pt

11:26 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Já ninguém me fazia chorar desde... sei lá quando!
Perdi o meu pai em 1999 e desde então que me coloco, à noite, a ver se consigo escutar a sua voz, a sua respiração. a mesma que eu ouvia enquanto ele dormia no seu quarto. Passam os dias e eu procuro o seu abraço e quando sinto uma leve aragem a passar pela minha face, imagino que é um dos seus beijos ou um carinho!
Que saudades! Que saudades, mesmo de quando ele gritava comigo, para me ensinar a conduzir ou a pintar as paredes da casa! Tenho saudades de chamar PAI...

Chamo-me Fernando e se quiseres, passa pelo meu blog... sentidodevida.blogs.sapo.pt

Obrigado por existires

12:26 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

actualizações de weblogs portugueses