Cumplicidades

Há palavras que nos beijam, Como se tivessem boca. Palavras de amor, de esperança. De imenso amor, de esperança louca...

quarta-feira, agosto 04, 2004

Florbela Espanca

Noite de saudade

A Noite vem poisando devagar
Sobre a Terra, que inunda de amargura...
E nem sequer a benção do luar
A quis tornar divinamente pura...

Ninguém vem atrás dela a acompanhar
A sua dor que é cheia de tortura...
E eu oiço a Noite imensa soluçar!
E eu oiço soluçar a Noite escura!

Porque és assim tão escura, assim tão triste?!
é que, talvez, ó Noite, em ti existe
Uma saudade igual à que eu contenho!

Saudade que eu sei donde me vem...
Talvez de ti, ó Noite!... Ou de ninguém!...
Que eu nunca sei quem sou, nem o que tenho!


Se tu viesses ver-me hoje à tardinha

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

IV

És tu! És tu! Sempre vieste, enfim!
Oiço de novo o riso dos teus passos!
És tu que eu vejo a estender-me os braços
Que Deus criou pra me abraçar a mim!

Tudo é divino e santo visto assim...
Foram-se os desalentos, os cansaços...
O mundo não é mundo: é um jardim!
Um céu aberto: longes, os espaços!

Prende-me toda, Amor, prende-me bem!
Que vês tu em redor? Não há ninguém!
A Terra? - Um astro morto que flutua...

Tudo o que é chama a arder, tudo o que sente,
Tudo o que é vida e vibra eternamente
É tu seres meu, Amor, e eu ser tua!


31 Comments:

Blogger o5elemento said...

{ ... gostei do blog ... }

11:09 da tarde  
Blogger Yardbird said...

É sempre tão Bela a Flor, Maria. Sempre ali à mão para a poder ir relendo. Beijo e noite feliz

11:16 da tarde  
Blogger frog said...

...é como um cravo ao sol a minha boca
quando os olhos se me cerram de desejo
e os meus braços se estendem para ti...

LINDO!

Um beijo

11:59 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A noite é terrível...Sem mais comentários...beijos. wind

12:12 da manhã  
Blogger Emilio said...

A Florbela Espanca consegue, como poucos, chegar ao meu íntimo mais profundo e predispor-me à paixão assim de xofre. Maria, mais uma vez uma selecção de luxo. Um dia destes não sei se resisto...:)Beijo grande.

12:26 da manhã  
Blogger Alma said...

Mariazinha :) ... como sabes adoro a nossa Florbela Espanca ... o "Se tu visses ver-me hoje à tardinha" é um dos favoritos, como sabes :) ... não resisti e coloquei "O meu desejo" no meu blog ... Beijinhos e Boa Noite


Nada ao acaso

1:38 da manhã  
Blogger Lapis de Cera said...

Como ela enalteceu a palavra Amo-te de uma forma sublime!
Belíssima esta escolha!
Um beijo grande

2:18 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Como esta mulher sabia escrever tão bem o dolorosamente belo! Que hei-de dizer Maria? Florbela é um anjo dos sentidos, ela tinha a emoção pela razão, assim via, assim viveu! E tu, acautela-te, tens voos grandes pra viver! Beijo

In Loko

7:11 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Olá menina Maria :)! mais uma vez um lindo poema para nos adoçar a alma! :) beijinhos grandes
tartaruga

9:43 da manhã  
Blogger lique said...

Maria, como é bom encontrar Florbela e os seus sonetos de paixão, saudade, desejo. Ela própria uma "chama a arder". Obrigada por isso. Beijinhos

10:02 da manhã  
Blogger c.b. said...

"Com a doçura de uma linda ave
Bateu as asas brancas e voou.
Era meiga, era pura, era suave
Não viveu! Foi um anjo que passou."

E Florbela foi uma especie de anjo que passou, um anjo que cá viveu e que mostra na poesia que deixou intensidade e sofrimento e muito amor e sentimento.

Poetiza maior.

*

11:57 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

e se hoje, tu, me viesses ver a tardinha ? :)
um beijo minha querida.

12:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Bom dia Maria. A fotografia foi obtida no Passeio Alegre - Foz - Cidade (amada) do Porto. Sou daqueles que choro de saudades quando estou fora dela uns dias.
Beijocas. JAC Local Imperfeito jac.blogs.sapo.pt

12:48 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

o5elemento: Obrigada pela tua visita... beijinhos

1:40 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Yardbird: Florbela Espanca, é uma flor linda, sim, que continua viva em cada uma das suas palavras.. Beijinhos, continuação de um excelente dia para ti, amigo.

1:41 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Albino: É essa capacidade de se entregar as palavras, que me encanta na Florbela. sente-se, quase que se pode tocar...

1:42 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Querida Wind: A noide pode ser terrivel sim, eu gosto particularmente dela, do sossego que ela me trás, é quando me liberto do dia, da agitação, e me entrego totalmente a mim, aos meus pensamentos, é nessa alturas que eles voam, percorrerm uma infinidade de caminhos, até encontrar o que procuram, aí descansam num abraço de palavras outras e silêncios... Beijinhos

1:45 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Querido Emilio: Concordo totalmente com o que diz sobre Florbela Espanca, ela consegue-o como ninguém, deposita em cada palavra uma infinidade de sentires, Ela viveu a sua vida com uma intensidade enorme, sentia até ao mais infimo da sua alma, cada amor, cada encontro e desencontro, a saudade, a dor, entregava-se ao amor por complecto, toda ela o era, e é nesse intensidade com que se viveu, que eu me encontro, ela traduz-me, por isso esta minha paixão pelas suas palavras.. Beijinhos

1:49 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Querida Alma, Florbela Espanca está hoje aqui também para ti.. :)
Já tive oportunidade de ler o poema que publicaste, é lindissimo, como o são todos de Florbela... Beijinhos

1:51 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Querida e Doce Cris, sem duvida! Florbela "inventava" cada palavra, elas adquirem um significado tão profundo e suave, que o sentimos, é quase que palpavel.. Beijinhos

1:53 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

In Loko amigo: Ela foi um Anjo tantas vezes incompreendido. Como ela, e não sei se isso é bom ou não, também eu sou muito mais emoção que razão... Acautelar-me de quê amigo?? Limito-me a viver a vida tal como a sinto.. Os meus voos, irão acontecer até ao dia que... Beijinhos

1:56 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Tartaruga querida amiga, ainda de férias? sinto saudades tuas, muitos beijinhos

1:57 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Querida Lique: É com um prazer enorme que partilho os poemas da Florbela Espanca, por muito que os leia, encontro-lhe sempre algo de novo, talvez porque o experimente... Muitos beijinhos

1:59 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Carlos: Deixou desenhado em cada palavra uma vida, uma historia em que se viveu de sentirs muitos... Beijinhos

2:01 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Florbela foi de uma sensibilidade única, seus poemas são muito profundos, sou apaixonada por eles. :) Beijinhos. Andréa Motta

2:26 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

a exaltação do amor na poesias de Florbela: quem ama assim, não merece castigo...

beijos

2:41 da tarde  
Blogger folhasdemim said...

Excelente! E é amar, assim, perdidamente... Beijinhos :)

2:53 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Querida Andréia: Somos as duas, perco-me totalmente neles. Muitos beijinhos

3:11 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

DonBadalo: O unico castigo, ser amada na mesma medida.. :)

3:13 da tarde  
Blogger Maria Branco said...

Betty: é vida... Beijinhos

3:14 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

E... E' *FLORBELA*!... TUDO* fica dito!!!.............

So' digo: _Gosto MUITO de SI* e lhe deixo um Abraco de Carinho Fraterno*!!!!!!!!!!!
_Heloisa B.P.
****************************************************

12:42 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

actualizações de weblogs portugueses